8.2.12

Amigos, Não é uma despedida!

Priscila e Maxwell Palheta

Foi da seguinte forma. Hoje estava "passeando" pela internet, à procura de algo para escrever. Alguns blogs e sites que rotineiramente visitava acabaram por fechar, outros, entretanto, continuam repetindo assuntos que já conhecemos. Há pouquíssimas novidades, então, o risco de tornar-se monótono é grande. E eu não gosto das coisas monótonas.

Desde 2010, trato de diversos assuntos. Juntamente com vocês caros leitores, aprendemos um pouco mais sobre economia, política, sociedade e até história. Porém, ainda há muito que compreender nos processos da humanidade e por isso prosseguimos.

Acompanhamos guerras de ocupação camufladas de ações humanitárias, novos conflitos que podem vir a surgir e enfrentamos um mundo que está a ruir, enquanto no horizonte nada de novo aparece. Hoje já sabemos quem está por detrás destas coisas, entendemos quais as motivações e quais os meios utilizados.

Quem obtém proveito desta situação? Sabemos isso também, existem os nomes, existem técnicas utilizadas, não falta nada. Resumindo: acho que temos um bom retrato da situação.

Pelo que penso: é tempo de mudar. E mudanças exigem Jesus Cristo à frente de nossas vidas!

Meu desejo é o seguinte: continuar a falar dos assuntos que foram tratados até hoje e cada vez mais ampliarmos nossa visão e pesquisas.

O “Apocalipse Em Tempo Real” (AETR) é um blog pequeno, mas fiquei surpreendido com a quantidade de vezes que artigos publicados foram "retransmitidos". Bom sinal! Este é um pequeno "capital" que não quero desperdiçar.

Outro desejo: continuar a ter a participação dos Leitores. Não de Leitores quaisquer, mas os mesmos Leitores que estão comigo até agora e que já demonstraram ter capacidade para fazer perguntas incômodas, também concordar ou discordar, sempre com inteligência. Esta é outra riqueza do blog, que terá de ser preservada.

Outro desejo: melhorar. Se costuma dizer que o melhor é inimigo do bom. Sim, mas acho que 'AETR' ainda não é "bom": pode tornar-se algo de bom e por isso tem de melhorar. Estes são três pontos fundamentais dos quais não abdico de aplicar na prática. Agora, o restante pode ser mudado.

Foi então quando surgiu a idéia da fusão entre os blogs: 'Apocalipse Em Tempo Real' e o 'Bússola do Apocalipse', da escritora Priscila Carneiro. Mas, porque a Bússola do Apocalipse? Porque Priscila?

Priscila possui espírito de liderança. Durante sua trajetória de vida soube passar com excelência por obstáculos e lutas que surgiram como desafios. Porém, o sucesso é a marca desta guerreira, que ano após ano, supera com afinco o poderio do adversário pois têm Cristo no coração. Com um estilo e caráter únicos, transformou seu trabalho no padrão ouro dos blogs. Seu foco inarredável na Palavra de Deus e no amor às almas são suas marcas registradas.

Desde que se apresentou como serva de Jesus Cristo há alguns anos, desenvolveu seu talento como escritora no 'Bússola do Apocalipse', sendo este um blog de referência no quesito estudos.

Priscila tem como objetivo falar à pessoas de todos os níveis da sociedade, com uma linguagem simplificada e de fácil compreensão. Neste foco estará pondo sua visão particular e aprimorada. E isso é o que será a mola precursora desta união.

Eu, Maxwell Palheta, apaixonado por esta mulher dotada de qualidades fascinantes e perfil singular, certamente jamais faria parceria com qualquer outro projeto ao qual eu não fosse admirador.

Se algum de seus valores realmente faz acontecer, é a diferenciação. E dentro desta distinção está um comportamento dinâmico, extrovertido, às vezes tímido, porém, sempre talentoso. E como resultado dessas qualidades: o sucesso!

Priscila é perfeita. Mas sua coragem e franqueza são características que a iluminam e a torna melhor todos os dias. Ela é minha inspiradora, motivadora, emana energia positiva e otimismo. Tem me levado à posição de poder e primazia em minha própria vida, garantindo assim a obtenção de qualidades especiais para ajudar o próximo a ter um encontro com Jesus Cristo.

Na verdade, Priscila é minha pastora e mulher dentro de um mesmo conteúdo. Nossa amizade vêm de longa data, logo, traduz-se em confiança. Eu encontrei a jogadora certa para o meu time, somos parceiros na vida. Estou pronto para vencer!

Temos os mesmos pensamentos e as mesma diretrizes e isso se refletirá em um trabalho sólido e inteligente, prosseguindo sempre na mesma visão que é levar a Palavra de Deus.

Em particular estarei como sempre abordando os noticiários ou os temas semanais que ocorrerem em nossa sociedade.

Espero que todos os amigos leitores e seguidores sintam-se alegres, assim como nós. Um sonho em mais uma etapa de nossas vidas se concretiza. Teremos sempre o mesmo carinho de sempre...

Desejo que o blog 'Priscila e Maxwell Palheta – Notícias e estudos conspiratórios' fique cada vez mais próximo dos desejos dos Leitores.

Aproveitem! Priscila e Maxwell Palheta estão prontos para lhes responderem sempre que for preciso, não hesitem em nos procurar!

Até logo. Deus abençoe.

27.1.12

Cinelândia – Tragédia no Rio de Janeiro

2701FS8016 Brasileiro gosta de tragédia. E a da Cinelândia está aí para mostrar essa nossa vocação mórbida e insaciável. Só falta botar a culpa no governo, para que se complete a receita infalível da falsa comoção nacional.

Não faltou nem a megalomania às avessas, outro aspecto marcante do caráter tupinambá. “Parecia o World Trade Center” e “imagina se fosse durante o horário comercial, quanta gente não morreria” foram as exclamações mais ouvidas nas arquibancadas montadas em cada esquina, mesa de boteco e sala de jantar.

Estou convicto de que muita gente acha que o estrago foi pouco. Sério mesmo. Ninguém vai confessar uma tara dessas em público. Mas garanto que quase ouço um murmúrio de decepção.

É um roteiro conhecido e que se repete exaustivamente. Seja no desmoronamento de um morro, na enchente devastadora, na seca no Nordeste.

Nunca está bom? Pois logo a seguir, nos invadirá uma sensação de vazio, ou melhor, de esquecimento e frieza quando nos chegam à lembrança fugaz essas hecatombes que voltarão a nos visitar.

Poxa vida, resmungaria algum mais exaltado, bem que poderia haver um tsunami no Brasil. Daqueles bem japoneses, sabe? Mas, também, caramba, não há terremotos nessa terra abençoada por Deus e bonita por natureza.

Minha tese é a de estarmos tão acostumados à tantas tragédias do nosso cotidiano (elas se repetem e se perpetuam), que sempre ficamos à espera de algo ainda pior, doentio, atroz. Desde que aconteça com outros, evidentemente.

Daqui há uma semana, um mês, tudo se encaixa na revoltante normalidade. Afinal, nenhuma providência será tomada, nada será feito para acabar com esse ciclo vicioso e masoquista.

Assim, aprendemos a conviver com aquela morte lenta e dolorosa, mesquinha até, que nada tem de dramática. Embora devesse nos encher de indignação e nos colocar num luto perpétuo pelo que esse país deixa de ser a cada dia.

Que cada um dos mortos da Cinelândia jamais caia no esquecimento leviano. Que o futuro não reserve a eles, em nossa memória, a mesma vala comum que tiveram, por exemplo, os seis meninos de rua e os dois sem-tetos chacinados na Candelária ou os cidadãos soterrados numa cratera de metrô; as famílias de Angra dos Reis, Jardim Pantanal, Nova Friburgo; as milhares de vítimas anônimas da violência policial; as centenas que estavam na queda dos vôos da TAM e da Gol; as incontáveis vidas que morrem sem atendimento na calçada de hospitais. São tantos. Nunca está bom?

“Sem falar na cobertura da mídia sensacionalista. Antigamente, mostravam-se condoídos, hoje... quanto mais vítimas, melhor.” Fico observando a face dos repórteres e apresentadores trazendo as notícias (em primeira mão), sem expressão alguma, parece até que estão comentando algo normal ou natural.

Recordo aqui de alguns apresentadores quando comentavam sobre a enfermeira espancadora de cachorro, revoltados, chamaram a mulher até de “vagabunda”.

É, acho que o ar que respiramos possivelmente está envenenado, com descaso e falta de amor.

Já são muitos os nossos mortos. Todos merecem o mais sincero respeito. Mas nossa maior homenagem seria, em seguida, praticarmos a mais vigilante indignação. Todo dia. Até que a morte de uma só pessoa inocente fosse o bastante para virar uma tragédia.

A morte de cada homem nos diminui. Assim falou o poeta. Esse é o murmúrio que eu gostaria de ouvir.

Leia também:

Rio de Janeiro – Uma cidade chamada caos 

Explosão no Rio de Janeiro

ARTIGOS SOBRE O RIO DE JANEIRO

17.1.12

4 aparelhos que estão espiando a sua vida

im-watching-you - Apocalipse Em Tempo Real Listamos alguns dos aparelhos que podem estar sempre com você e que vão diminuir a sua privacidade.

Em um mundo cada vez mais conectado e envolvido pelos eletrônicos, há uma parte nossa que acaba sofrendo: a privacidade. Estamos vivendo hoje em uma época de muita monitoração, pelos mais variados motivos, como publicidade, controle ou proteção, entre diversos outros.

E se você possui um computador com conexão à internet, um smartphone ou algum outro gadget, possivelmente você não terá como fugir desse controle. Inevitavelmente, os mais variados detalhes da sua vida estarão abertamente acessíveis para quase qualquer pessoa que os queira.

Mas quais serão os eletrônicos mais propensos a invadir nossa privacidade? Abaixo trazemos uma lista de algumas maneiras como você está sendo observado, as quais, provavelmente, você nem imaginava.

1 - Computadores

Podem ser considerados os maiores espiões da lista. Os computadores fazem o rastreamento de quase todas as informações com as quais você tem contato. Ao abrir o Gmail, você concorda que o Google tenha acesso a seus dados. Dessa forma, a empresa monitora cada página visitada, para então poder oferecer campanhas publicitárias voltadas diretamente para os maiores interesses da pessoa na internet.

Seu computador também já pode ter sido alvo de algum ataque e você nem imagina. São diversos os aplicativos que monitoram estatísticas de uso, teclas, programas iniciados e tudo mais que você possa querer utilizar na máquina.

2 - Sorria, você está sendo filmado

notebook - Apocalipse Em Tempo Real

Câmeras estão em toda a parte. Nas ruas, nos prédios, no elevador e até mesmo no seu ambiente de trabalho. Mas e se essa câmera na frente do seu notebook também estiver filmando você e enviando as imagens pela internet para qualquer outra pessoa?

Tal problema já ocorreu na Universidade da Pensilvânia, quando a instituição foi acusada de espionar os alunos através das webcams existentes nos notebooks que eram doados no ato da matrícula.

microsoft - Apocalipse Em Tempo Real

Outra câmera que às vezes nos passa despercebida é a do Kinect. Embora ainda não esteja sendo usado com o propósito de monitoramento, a própria Microsoft anunciou que o aparelho pode ser capaz de “assistir” aos moradores da casa e enviar informações sobre os hábitos e rotinas de quem estiver presente. Isso seria interessante para que as empresas de publicidade pudessem saber qual o melhor momento de atingir o consumidor.

3 - Smartphones podem ser “smart” até demais

antena - Apocalipse Em Tempo Real

Os aparelhos mais modernos, principalmente os que rodam Android ou iOS, possuem funções que revelam a sua localização a todo momento. Felizmente, ao menos de maneira legal, essas capacidades podem ser ligadas ou desligadas de acordo com a preferência de cada um.

Mas não é somente através do GPS que você pode ser rastreado. Como vimos neste último feriado de Natal, alguns shoppings dos Estados Unidos estavam monitorando os passos de cada cliente através do sinal dos próprios aparelhos.

E, se isso não fosse suficiente, existem até as notícias de que as próprias operadoras de celular estão monitorando seus passos, como pode ser visto aqui.

câmera digital - Apocalipse Em Tempo Real

Além dos smartphones, os tablets e até mesmo câmeras digitais podem fazer o mesmo. Os tablets, aliás, juntam os riscos dos computadores com os riscos do smartphones, mostrando serem ferramentas de monitoração ainda mais poderosas. Já as câmeras, por sua vez, normalmente possuem serviço de geo-tag, que classifica as fotos de acordo com localização e data, indicando exatamente onde você estava em determinado momento.

4 - Sabe aquele cartão na sua carteira? Pois então...

O cartão de crédito é mais uma maneira muito funcional para que seja possível saber onde você está e o que você está fazendo. Os terminais que capturam os dados do seu cartão a cada compra estão ligados a uma enorme rede bancária que pode compartilhar informações entre si.

cartão - Apoacalipse Em Tempo Real

Além disso, tanto a Visa quanto a Mastercard já anunciaram que possuem planos de monitorar as compras dos seus clientes, para traçar perfis de consumo. Embora o monitoramento seja classificado como “anônimo”, não é difícil de imaginar que basta um passo para que, além de todos os dados já coletados, o nome do cliente também o seja.

As redes sociais não são exatamente um gadget, mas também são um problema

E por isso, aqui, todo cuidado é pouco. No Tecmundo, já mostramos como o Facebook está monitorando as pessoas cadastradas, além de explorarmos as melhores maneiras de impedir que sua privacidade seja violada nas redes sociais. São leituras obrigatórias para todos que as usem.

Por: Tecmundo

15.1.12

Você já não tem mais controle sobre a sua vida

mensagem recebida - Apocalipse Em Tempo Real Vídeo mostra que basta um simples SMS para que uma empresa saiba absolutamente tudo sobre você.

Você pode não ter se dado conta, mas basta enviar um simples SMS para que uma empresa tenha acesso a uma série de dados sobre você. Juntas, essas informações podem ajudar a estabelecer um padrão e fazer com que a sua vida se torne um livro aberto para qualquer companhia.

Ao enviar uma mensagem de texto, por exemplo, o seu número de telefone, o número de quem recebeu a mensagem, sua localização no momento do envio incluindo data e hora, a duração da conversa, a quantidade de dados transmitidos e o custo do envio são apenas algumas das informações.

O vídeo abaixo mostra como o volume de dados que circulam na rede ajuda a criar padrões e faz com que a web seja cada dia mais personalizada. Você quer ter acesso sempre às opções customizadas de anúncios e serviços? Saiba que a sua privacidade é o preço.

Por: Tecmundo

11.1.12

Mulheres ricas – TV BAND

mulheres-ricas - Apocalipse Em Tempo Real Desesperado com a nova temporada de mais um BBB? Saiba que o circo dos horrores da TV brasileira atingiu literalmente o auge da exposição da miséria humana: Mulheres Ricas, da Band.

É pra quem têm estômago forte! Quem sobreviverá antes de começar a sentir engulho, a ânsia que precede o vômito?

O enjoo é imediato, basta ouvir o modo afetado e desumano como falam as milionárias que têm suas vidas expostas no reality show mais fake do Sistema Solar.

Narcisa Tamborindeguy, Brunete Fraccaroli, Débora Rodrigues, Val Marchiori e Lydia Sayeg possuem algo em comum, muita bufunfa, assim como sofrem da mesma carência: senso de ridículo. Deus dá, Deus tira.

As cinco madames tupinambás aceitaram participar de uma farsa que envolve mais dinheiro que novecentos mensalões. É impossível acreditar que os diálogos mostrados no programa sejam naturais. Não. Foram todos criados (e depois ensaiados) por algum teledramaturgo sadomasoquista e analfabeto. Ou elas são burras mesmo.

Por que alguém aceita mostrar em canal aberto, sem nenhum constrangimento, o que há de pior nos primatas? As aparições dessas senhoras parecem uma gincana de futilidade em que vence quem se mostrar mais desprezível. Periguetes, relaxem: grana não faz a menor diferença na hora de ser vulgar.

Hello! Ai, que tédio! Aique Batista. Todo mundo tem que almejar ser rico. São os bilionários que movem a economia mundial, e não quem trabalha feito um pobre. A felicidade está logo ali, basta ter nascido rico ou ter se casado com um. Ou berço ou cama.

Que todas sejam alienadas, ok. Perderam a noção de realidade por dever de ofício. A produção já contava com essa característica das participantes. Mas ninguém da Band vai chamar o doutor Drauzio ou internar para tratamento aquela única bonitona viciada em champanhe? Ela é alcoólatra, tadinha! Fase terminal.

Uma utilidade pedagógica para essa atração é ilustrar os jovens sobre o porquê de Maria Antonieta ter sido decapitada. Agora também entendo o que motivou a Revolução Francesa e as barbáries contra a realeza na União Soviética. Mereciam.

Se alguém quer se arriscar a assistir a Mulheres Ricas, o aviso está dado. Eu precisei depois rever três vezes Cidade de Deus para me acalmar. Meu nome agora é Zé Pequeno!

8.1.12

Ai, se eu te pego…

MichelTelo - Apocalipse Em Tempo RealMeu gosto musical é uma larga rodovia onde transitam de Mozart a Zeca Pagodinho, com algumas ultrapassagens do brega mais autêntico. Mas sempre causa engavetamento nos meus ouvidos a axé music, o funk escatológico e esse manifestação pandêmica internacional chamada sertanejo universitário.

Não é preconceito. Deve ser apenas uma singela alergia sonora a ritmos que remetem a primitivas danças de acasalamento e coreografias minimalistas de fornicacão.

A essa dificuldade em dançar na boquinha da garrafa e ouvir letras com duplo sentido vulgar, agora se soma o enjoo que me causam rimas paupérrimas que tratam o amor como um sentimento disléxico reservado a pessoas com analfabetismo funcional.

É necessário alto ímpeto de humildade intelectual para aceitar que há gosto para tudo. Porque, de fato, cada um tem o direito de entupir ou aniquilar seu cérebro com a substância venenosa que lhe aprouver.

Em um esforço antropológico, algum tempo andei conversando com jovens supostamente sóbrios e que mesmo assim consomem essas drogas musicais. Não estou aqui para julgar ninguém. Não sou fumante, mas sou solidário a qualquer vítima de dependência química.

O que percebi nessa investigação patológica é que muitos desses consumidores de crack, funk carioca, Luan Santana e Michel Teló não procuram clínicas de desintoxicação por absoluta ausência delas. E o governo não faz nada.

A única opção seria ouvir música de velho. Não surge um compositor que preste há pelo menos 50 anos. A MPB (e o rock, bebê) morreu, tosse ou anda em cadeira de rodas. Rigorosamente, essa pobreza toda é o que temos para hoje.

Deixa a turma se pegar, então. Assim eles se matam, é um risco. Mas se até a Europa está em crise, não há muito o que fazer. Lá, o Teló toca mais que Adele e Coldplay. Ai, ai.

7.1.12

Crianças ou ciborgs?

sexto-sentido - Apocalipse Em Tempo Real

Pós-doutores em ciências da computação já dão conta da existência de chips que podem ser implantados no cérebro de uma criança ao nascer, permitindo que milhares de informações sejam transferidas, poupando a pesquisa para encontrá-las. Estamos muito próximos de um ciborg e de pessoas que, ao nascer, tenham muitas informações além do sugar e segurar com a mão.

O grande impacto causado pelos chips é marcadamente ético. Que tipo de informação deve ser implantanto? Que informações morais e religiosas seriam admitidas pela família? Quais informações sobre a política e a história humana e sob qual modelo de interpretação estariam submetidos os dados, agora transplantados para a mente de um recém-nascido?

Para uma escola centrada na informação, a maioria das aulas não precisaria exisitr. Já quanto à capacidade de análise e à assimilação do conhecimento, não só os colégios precisam continuar a desenvolver um papel modernizado, como também as aulas exigirão rumos bem diferentes. A consciência educativa nestes tempos de mudança e novidades impactantes não poderá distanciar-se da complexidade efetiva e, portanto, falar ao coração das pessoas continuará a ser um desafio para os educadores. Esta é a fronteira entre o ciborg e o humano e nela precisamos de um educador que sinta as pessoas.

Mesmo consegundo chegar ao limiar de um ciborg diante do acúmulo de informações, estamos distantes do ser humano ideal configurado, sobretudo, em sua vida afetiva. Por mais informações atualizadas, por mais tecnologias avançadas, o mais antigo e sublime ainda permanece: a educação da afetividade. Para tanto, as escolas e os mestres precisam cultuar a capacidade de sentir as pessoas para que, no decorrer deste século de inovações, não venhamos a treinar monstrinhos, deixando de lado um cidadão humano e afetivamente equilibrado.

 

4.1.12

Bolsa estupro

bolsaestupro - Apocalipse Em Tempo RealTramita no Congresso o Projeto de Lei 478 de 2007, anexo a outras propostas, que, a pretexto de proteger a mulher vítima de violência sexual, institui a ‘bolsa estupro’, pela qual o filho resultante de violência sexual receberá pensão alimentícia equivalente a um salário mínimo até que complete 18 anos, paga pelo Estado, se o estuprador for insolvente ou se não for identificado.

Tais propostas fingem proteger a gestação, mas tem o propósito de barrar projetos de descriminalização do aborto, compromisso assumido pelo Brasil no Cairo em 1994 e Beijing em 1995. Além disto, reduz o valor de pensão eventualmente devida, pois hoje pode ser maior que o salário mínimo, se o criminoso tiver posses.

A criminalização do aborto, incompatível com a assistência à saúde da mulher, especialmente da saúde sexual e reprodutiva, já foi condenada pelo sistema internacional de direitos humanos em inúmeras oportunidades. Ninguém é a favor do aborto, porque dói, sangra e traz outras conseqüências. Mas é obvio que a criminalização é ineficaz e causa terríveis danos e riscos para a mulher, para a sociedade e para as instituições do próprio Estado. Nenhuma clínica clandestina funciona sem um bom contato com a delegacia policial local. A criminalização gesta a clandestinidade, a precariedade do atendimento e a corrupção policial.

A descriminalização do aborto não alterará as relações sociais e não interferirá nos poderes dos sacerdotes diante daqueles que acolhem seus sistemas de crenças. A questão é de não mais submeter a julgamento em júri popular pessoa que praticou aborto, mas prestar assistência à sua saúde para que tenha vida com abundância. Pois vida não é apenas o oposto de morte, mas também a existência feliz e com as necessidades satisfeitas. Na questão, o que se contrapõe é o direito à saúde ao poder punitivo do Estado e das fogueiras que se pretendem manter acessas.

1.1.12

2012 o mundo em crise: Recriando a vida

Crise-Economica-Mundial-2011-2012Finda o ano, inicia-se o novo. No íntimo, o propósito de “daqui pra frente, tudo vai ser diferente”... Começar de novo. Será?
Atribui-se a Gandhi esta lista de Sete Pecados Sociais:
1) Prazeres sem escrúpulos;
2) Riquezas sem trabalho;
3) Comércio sem moral;
4) Conhecimento sem sabedoria
5) Ciência sem humanismo
6) Política sem idealismo;
7) Religião sem amor.

E agora, José? No mundo em que vivemos, quanta esbórnia, corrupção, nepotismo, ciência e tecnologia para fins bélicos, práticas religiosas fundamentalistas, arrogantes e extorsivas!

Os ídolos atuais, que pautam o comportamento coletivo, quase nada têm do altruísmo dos mestres espirituais, dos revolucionários sociais, do humanismo de cientistas. Hoje, predominam as celebridades do cinema e da TV, as cantoras exóticas, os desportistas bilionários.

Uma parcela da juventude se afunda nas drogas, na busca virtual de um ‘esplendor’ que a realidade não lhe oferece. São crianças e jovens deseducadas para a solidariedade, a compaixão, o respeito aos pobres. Uma geração desprovida de utopia e sonhos libertários.

A autraliana Bronnie Ware trabalhou com doentes terminais. A partir do que viu e ouviu, elencou os cinco principais arrependimentos de pessoas moribundas:

1) Gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida verdadeira para mim, e não a que os outros esperavam de mim;

2) Gostaria de não ter trabalhado tanto;

3) Gostaria de ter tido a oportunidade de expressar meus sentimentos;

4) Gostaria de ter tido mais contato com meus amigos;

5) Gostaria de ter tido coragem de me dar o direito de ser feliz.

E nós, que ainda não estamos moribundos, de que gostaríamos de não nos arrepender?

A cada fim de ano, é inevitável a mistura de sentimentos. refletimos sobre o que passou e o que virá, avaliando como podemos fazer diferente e melhor.

O mundo está passando por profunda transformação, e embora saibamos que isso é algo constante, o momento atual nos sinaliza com mudanças significativas e que podem determinar uma nova era no cenário mundial e isso, obviamente, inclui o Brasil.

Europa em crise, Estados Unidos ‘mal das pernas’, a China avançando e por aí vai. Especula-se até que o Brasil está prestes a assumir o posto de quinta economia do mundo, o que nos orgulha por um lado(?),mas por outro nos preocupa quando olhamos a realidade da nossa educação, saúde, segurança etc.

No entanto, ainda que por motivos esportivos, no compasso de espera da Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016, o País e mais precisamente o Rio de Janeiro estão sob os holofotes.

A hora é de não só mostrar toda a potencialidade, como também absorver o máximo de benefícios que tudo isso pode proporcionar à nação.

Somos conhecidos pela nossa beleza natural e pela característica de um povo acolhedor. Mas, em verdade, somos bem mais que isso. O Rio foi capital do País e ainda hoje é uma das maiores (senão a maior) referência cultural e turística do Brasil, e isso inclui também o cada vez mais aquecido turismo de negócios.

Como amantes da cidade, fica o nosso desejo de que o ano que se inicia seja um divisor de águas para o País e para Rio. Que nossas autoridades minimizes os interesses próprios e direcionem esforçam para o crescimento sólido, trabalhando em prol do bem comum e de um crescimento uniforme de toda a Nação.

28.12.11

PIB Brasil: Um país de contos de fadas

eraumavez - Apocalipse Em Tempo Real Brasil 6ª maior economia do mundo – Isso não pode ser considerado algo comum, pois estamos diante de tantos países poderosos que produzem PIB´s magníficos, países com tecnologia de ponta.

Mas o que quero dizer é que estamos muito distante daquilo que os números dizem com a nossa realidade vivida em nossa sociedade. Por mais que tenhamos uma economia forte, isso não nos concede o direito e nem nos livrará dessa fétida lama na qual se encontra esse País.

As desigualdades sociais são uma realidade, a falta de educação é refletida na baixa escolaridade, somos atualmente o 88º colocado no ranking mundial. E do que devemos nos orgulhar?

O PIB é expressivo, mas o desemprego é um fato, o PIB é uma “realidade”, mas os hospitais caem aos pedaços. Temos motivos para comemorar? Para quem é o PIB?

A nossa realidade é indigente, é muito mais real do que os números desse mundo econômico “ilusório”.

O ministro Gido Mantega não satisfeito com a 6ª colocação no ranking PIB, diz, que até 2015 seremos a 5ª colocada

*** Mais de 150 municípios brasileiros reprovam alunos no primeiro ano de estudos

Enquanto o PIB não for transformado em uma realidade concreta para mudar a vida dos brasileiros, sem teto, sem saneamento, sem escolas, esse PIB vale apenas para propaganda, e para oba-oba de quem está se apropriando dele. Porque é muito fácil dizer que cresceu o PIB de uma maneira significativa, mas é muito difícil dizer que ele cresceu para todo mundo.

Para quem é esse PIB?

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Maxwell Palheta | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons